A Águia-pesqueira em Portugal

Reproduziu-se ao longo da costa portuguesa até ao ano de 2000, altura em que o último casal desapareceu. Saiba mais sobre o passado e presente da Águia-pesqueira em Portugal

O passado

Os relatos mais antigos relativos à reprodução da Águia-pesqueira em Portugal remontam ao início do século XVII. Tratava-se de uma espécie que habitava ao longo da costa portuguesa e que era conhecida por “Guincho”.

A espécie reproduzia-se ao longo da costa portuguesa construindo os seus ninhos nas falésias e em ilhéus. Registos antigos assinalam o pinhal de Leiria também como local onde a espécie nidificava. Relatos indicam que a população nos anos 30 seria constituída por cerca de 20 casais. Em 1975 apenas 6 desses territórios estariam ocupados e 4 deles desapareceriam nos anos seguintes. Apenas 2 permaneceram ativos até que no início dos anos 90 desapareceu um desses territórios. O último casal desapareceu em 1997, ano em que a fêmea morreu.

Vários foram os fatores que contribuíram para o declínio e extinção da Águia-pesqueira como espécie nidificante em Portugal. A principal causa apontada terá sido a crescente ocupação humana do litoral português, que se intensificou a partir dos anos 70. No entanto o abate indiscriminado de animais e a destruição dos seus ninhos também são factores importantes no desaparecimento dos casais reprodutores.

Bibliografia: Cancela da Fonseca, Luís & Palma, Luís & Beja, Pedro. (2011). A Águia-Pesqueira (Pandion haliaetus) em Portugal: uma história de insucesso?. 10.13140/2.1.2511.9685.

Mapa com a distribuição dos territórios no passado

O presente

População invernante

Portugal continua a albergar uma população invernante de Águia-pesqueira que ocupam os principais estuários e rios (Mondego,  Vouga, Tejo e Sado). 

Também pode ser observada pontualmente nas inúmeras albufeiras do sul do país. 

A realização de censos para contabilizar a população invernante têm ocorrido desde 2015. O último realizado em 2019 sugerem uma população invernante de cerca de 200 indivíduos.

 

População nidificante

Em 2015 estabeleceu-se o primeiro casal reprodutor na albufeira do Alqueva como resultado dos esforços realizados no âmbito do Projecto de Reintrodução da Águia-pesqueira em Portugal. 

A expansão tem sido um processo muito lento e em 2020 um segundo casal estabeleceu-se numa albufeira no litoral alentejano, elevando para dois os casais reprodutores.

O estabelecimento de outros dois possíveis territórios (Alqueva e Algarve) em 2021 são bons indicadores sobre a expansão da população nidificantes em Portugal.

 

Fêmea com anilha 02. cor de laranja de origem francesa (© Jorge Safara)
Ninho de Águia-pesqueira com duas crias (© Jorge Safara)